Apostila 26

MEDIUNIDADE - TEORIA E PRÁTICA

17ª Parte

GLÂNDULAS - I


Desde a apostila 11 vamos, parte-por-parte, conhecendo esse personagem grandioso que é o coroamento da pirâmide evolutiva na Terra: a Criatura Humana. Até a apostila 25 analisamos seu lado oculto. Nesta, analisaremos o elo de ligação entre o lado oculto e o lado visível. Aliás, isso deve ser ressaltado, este elo não tem só a função de ligar as duas partes, mas também a de regular o funcionamento da parte visível.

Este elo é formado pelas glândulas, os principais agentes do sistema endócrino, regulador do funcionamento do corpo humano.

Ficou demonstrado desde a apostila 21 que os chacras têm as extremidades de seus vórtices ligados aos plexos nervosos. Devido a isso, tão logo haja variação no fluxo energético, prontamente é percebido pela alteração que se manifesta no organismo, acusado pelo sistema nervoso. Todavia, um outro tipo de alteração também ocorre no corpo Físico. Este, proveniente do funcionamento glandular. Sigamos a figura abaixo.

A figura mostra o posicionamento das principais glândulas no corpo humano. Cada uma delas, como o estudo da fisiologia bem esclarece, tem uma função específica no controle de funcionamento do corpo. Esse controle é efetuado pela secreção de hormônios. Cada glândula segrega um ou mais tipos de hormônios. Estes, uma vez lançados na corrente sangüínea, vão provocar mudanças funcionais no organismo.

Essas alterações serão correspondentes a cada tipo de hormônio lançado. Exemplo: as alterações mais perceptíveis que acontecem são as provocadas pelas glândulas supra-renais que, além de outros, segregam a adrenalina. Quando este composto hormonal é injetado na corrente sangüínea provoca a aceleração dos batimentos cardíacos, numa forma de deixar o organismo em alerta contra iminentes perigos. Outro exemplo é o do hormônio insulina, produzido pelo pâncreas. Este hormônio é o grande responsável pela distribuição do açúcar (glicose) no organismo. Sem ele, contrai-se a doença por nome diabetes.

E assim, cada um dos hormônios com a sua função, cuja ausência ou excesso, provocará distúrbios de funcionamento orgânico. Tudo isso, entretanto, já é do vasto conhecimento da ciência médica, e não precisamos aqui nos alongar nas referidas explicações. Mesmo porque suas partes mais complexas fogem ao nosso modesto alcance.

O que nos propomos é fazer a demonstração de que todo o sistema endócrino está intimamente associado à rede dos chacras, para que as implicações tão perceptíveis no fenômeno da mediunidade fiquem mais compreensíveis e definidas suas origens. Afinal de contas, uma das características da mediunidade é, exatamente, esse interrelacionamento entre o aspecto visível e o aspecto invisível da existência. Seja o fenômeno de ordem anímica ou espiritual, diferenciação que será mais bem comentada em estudos futuros. Por esta apostila informamos, apenas, que o fenômeno anímico é o provocado pelo espírito do próprio encarnado, e o fenômeno espiritual é produzido por um ente independente do encarnado que o manifesta.

Prosseguindo em nossa análise temos que, se o sistema glandular já abrangeu vasto conhecimento na ciência biológica, todavia esses mesmos estudiosos ainda estão muito longe de saberem tudo a respeito dele, bem como de toda a função dos hormônios que as glândulas secretam.

Nesta questão, aqui vai a mais importante inquirição: O sistema endócrino controla o funcionamento geral do organismo.

Até aqui, tudo bem, mas, o quê, ou quem, controla o sistema endócrino ? Será o cérebro ? Se respondermos que sim, a pergunta continua irrespondida, pois, diremos: e quem controla o cérebro ?

A ciência dos homens ainda não encontrou a resposta definitiva, mas nem por isso estamos sem informações precisas. E são os espíritos que vêm, mais uma vez, nos elucidar.

Para acompanhar o raciocínio que nos levará à resposta para as perguntas que formulamos linhas acima, observem a figura ao lado. Ela retrata o que podemos chamar de Centro Captador de Energia e Diretor do corpo humano. Este Centro é composto pela glândula Pineal, também chamada de Epífise, centrada no ponto de intercessão dos vórtices dos chacras Coronário e Frontal e da glândula Pituitária, cujo outro nome é Hipófise. Com respeito a essas duas glândulas reproduzimos os seguintes textos extraídos de literaturas de autores pertencentes à ciência médica. Diz o primeiro: Hipófise ... "secreta seis hormônios diferentes que regulam, respectivamente, o crescimento de todos os tecidos do corpo, (...) do hormônio tiroidiano, (...) dos hormônios do córtex supra-renal (...) a produção do leite [materno], e as secreções dos diversos hormônios sexuais." (Livro: Fisiologia Humana, página 459, autor Arthur C. Guyton, publicado pela Editora Interamericana). Diz o segundo: Pineal ... "segrega o hormônio (...) melatonina, que inibe a química da maturação sexual e parece reagir à escuridão." (Livro: Projeciologia, capítulo 86, autor Dr. Waldo Vieira em edição dele próprio). Diz o terceiro: Pineal - "Pelos estudos (...) percebemos a influência diretora da glândula pineal sobre a cadeia glandular do organismo. A ligação que mantém com o hipotálamo e outras zonas nobres do sistema nervoso central é evidente, como também, a influência que exerce no sistema nervoso neuro-vegetativo. Desse modo, jamais poderemos afastar a glândula pineal da participação de inúmeras funções orgânicas, direta ou indiretamente, assim como da acentuada correlação no setor psíquico." (Grifo nosso) (Livro: Forças Sexuais da Alma, página 90, autor Dr. Jorge Andréa, editado pela Federação Espírita Brasileira).

Como vemos nas descrições acima, observamos que, embora venham de autores médicos e fisiologistas, elas, porém, convergem para um só ponto: o Psiquismo. Exatamente o que nos interessa neste estudo.

Todavia, antes de passarmos à nossa própria análise, reproduzimos abaixo outro trecho de autoria do dr. Waldo Vieira, citado acima, e autor do livro Projeciologia, além de que, é a autoridade máxima no conhecimento e prática de projeção astral: "A cabeça humana, notadamente os dois hemisférios cerebrais, funciona como centro irradiador de energia, destacando-se aí a epífise, ou glândula pineal, (...) o centro coroário, e o centro frontal. A epífise representa o núcleo físico da esfera extrafísica de energia. A rigor, o corpo mental é o centro irradiador, essencial da esfera extrafísica de energia." (Grifo nosso) (Livro: Projeciologia, capítulo 236, edição de 1986).

Pois bem, todos os trechos citados suscitam comentários interessantíssimos, que, para melhor entendê-los fizemos a figura aqui ao lado. Ela é uma interpretação das informações prestadas por dr. Waldo Vieira. Vejamos: Primeiro: A glândula pineal "parece reagir à escuridão", ou à variação de intensidade da luz. Isso veremos mais à frente, quando estivermos analisando o lado prático da mediunidade, no item Influência do Ambiente, apostila 43. Segundo: A glândula "epífise representa o núcleo físico da esfera extrafísica". Isso significa que a glândula epífise é o elemento físico que transfere para o mundo físico as impressões oriundas da esfera extrafísica. Ou seja, é o canal interior com que cada pessoa contata o lado oculto da existência. Terceiro: ..."o corpo mental é o centro irradiador da esfera extrafísica de energia". Compreendemos, como vimos nas apostilas 05 e 15, e no 22, que o corpo mental é o funil, se assim podemos nos expressar, por onde se transferem à região da evolução humana, as energias vindas da região da evolução super-humana. Revejam figuras 11A na apostila 11, e 15A na apostila 15.

Sem maiores comentários para não alongarmos em demasia, cada um faça suas considerações com relação às informações que deixamos acima. Contudo, não podemos deixar de dizer que as citações inseridas prestam inestimável colaboração à base de nossos estudos. Voltemos ao tema.

O que dizíamos da figura 26B, é que ela retrata o centro Captador de energia e diretor do corpo humano, e as informações citadas confirmaram. Desta forma, compreendemos que os chacras Coronário e Frontal concentram na glândula pineal as radiações captadas por eles. O Frontal, centrado na glândula pituitária, após esta, transfere as energias à glândula pineal. Elucidando essa informação, segundo André Luiz, autor espiritual, através do trabalho de psicografia do inesquecível Francisco Cândido Xavier, expressado no livro Evolução em Dois Mundos, páginas 66 e 67, diz ele que é dessa junção entre as duas glândulas que se formam os recursos da diversidade mental do indivíduo, proporcionando, além das já conhecidas, também a função mediúnica entre as duas dimensões da existência.

Agora sim, chegamos onde queríamos. Temos as opiniões de eminentes fisiologistas e do não menos eminente Mentor Espiritual André Luiz. Todas elas dizem a mesma coisa, ou seja, a intrínseca relação da epífise com todos os fenômenos psico-biológicos da criatura humana.

Em síntese, do que acima ficou, podemos, sem medo, dizer que a glândula epífise centraliza em si o controle das energias mais delicadas que tocam o encarnado, e que esse mecanismo captador, dentre outros, oferece a possibilidade de se efetuar um selecionamento utilitário, ou não, das energias captadas, o que muito facilitará as ações nos trabalhos mediúnicos. Evidentemente, quando bem usado, propiciando segurança ao executante. Esse mecanismo de selecionamento será visto na apostila 30, figura 30C.

Assim sendo, das pesquisas dos autores acima nomeados, e principalmente de André Luiz, temos que os chacras Frontal e Coronário, em associação, entram com suas participações nesse mecanismo de selecionamento, permitindo, com isso, à consciência do indivíduo, que ela se sirva do cérebro para comandar todo o sistema orgânico.

Com essas informações, e com as referências bibliográficas citadas, consideramos que fica demonstrado o mecanismo central de controle do organismo humano. Demonstra-se, também, o elo que interliga o invisível ao visível desse mesmo corpo. Mais ainda, e aqui chegamos à resposta para a pergunta que ficou linhas atrás, quando indagamos "quem controla o sistema endócrino ?". Resposta: o Espírito. Isso para nós não é nenhuma novidade, mas em respeito para com aqueles ainda pouco versados na ciência do Oculto, ou do Espírito, fizemos questão de relatar uma informação mais completa.

Acompanhe pela figura a descrição do funcionamento. Uma vez tendo a energia sido captada pelo chacra Coronário, e sendo transferida à glândula epífise (pineal), esta entra em atividade, traduzindo e transferindo ao meio físico o sentido daquela radiação que a atingiu. Por sua função de glândula central, controladora de todas as demais, embora a ciência biológica isso ainda não reconheça, feita a identificação do tipo de radiação por ela recebida, suas ordens "endócrinas" partem em direção à glândula que particulariza aquela utilização. Na figura representamos essa função centralizadora e distribuidora da glândula epífise.

Além disso, é bom que se complemente, o chacra da região correspondente à utilização da radiação recebida, associa-se ao chacra Coronário para robustecer a captação daquela energia. Exemplo: para uma energia cuja área de ação é a emocional, serão acionados os chacras Coronário e o Cardíaco. Uma outra energia na área das sensações, acionará o Coronário e o Gástrico. E assim, caso a caso, a glândula específica imediatamente recebendo os sinais emitidos pela epífise, envia à corrente sangüínea o hormônio necessário para atender aquele comando.



Bibliografia:

André Luiz/Francisco Cândido Xavier - Mecanismos da Mediunidade, págs. 83 e 104 - Evolução em Dois Mundos, págs. 66, 67, 69, 72 e 98 - Missionários da Luz, capítulos I e II - Ação e Reação, págs. 254 e 255 - No Mundo Maior, pág. 136 - Nos Domínios da Mediunidade, pág. 33, todos esses livros editados pela Federação Espírita Brasileira.

Arthur C. Guyton - Fisiologia Humana, Editora Interamericana

Arthur E. Powell - O Corpo Astral, pág 33, Editora Pensamento

Jorge Andréa - Forças Sexuais de Alma, capítulo III, editado pela Federação Espírita Brasileira.

Lancellin/João Nunes Maia - Iniciação, Viagem Astral, págs. 97, 100,114, 126, 136, 218, 287 e 349, editado pela Editora Espírita Cristã Fonte Viva.

Miramez/João Nunes Maia - Horizontes da Mente, págs. 37, 39, 70, 96 e 186 - Segurança Mediúnica, págs. 11, 12, 51, 104, 126, 141 a 144 e 147, ambos editados pela Editora Espírita Cristã Fonte Viva.

Helena Petrovna Blavatsky - A Doutrina Secreta, volume III págs, 135, 312 à 319 - Isis sem Véu, volume I pág. 480, ambos editados pela Editora Pensamento.

Annie Besant - A Vida do Homem em Três Mundos, pág. 90 - O Poder do Pensamento, págs. 24 e 25 - O Corpo Etérico do Homem, págs. 25, 26 e 27, todos editados pela Editora Pensamento.

Waldo Vieira - Projeciologia, capítulos 86, 191 e 236, em edição do autor, de 1986.


Apostila escrita por
LUIZ ANTONIO BRASIL

Maio de 1995

Revisão em Dezembro de 2006

Início A Criatura A Grande Morada Civilizações O Inevitável Despertar

Reconstrução Mediunidade-1 Mediunidade-2 O Amor Meditação Além da Meditação